Náuseas e baixo apetite

Durante o tratamento de quimioterapia, alguns efeitos colaterais podem afetar a sua alimentação. A alimentação adequada para cada sintoma é importante para manter peso saudável e auxiliar na recuperação do sistema imunológico.

Náuseas e vômitos são comuns e, além disso, o baixo apetite também pode afetar algumas pessoas.

Dicas úteis:

Náuseas e vômitos

  • Faça uma alimentação fracionada, comendo pequenos volumes, várias vezes ao dia. Faça de 6 a 8 refeições
  • Evite líquidos com refeições
  • Dê preferência a alimentos mais secos; evite molhos e cremes
  • Dê preferência a alimentos de consistência branda
  • Evite alimentos gordurosos, como frituras, carnes gordurosas, massas que vão manteiga, molhos brancos e creme de leite
  • Evite preparações com temperaturas extremas, nem muito quente e nem muito frio
  • Evite preparações e alimentos muito doces
  • Mantenha a cabeceira elevada (45°) durante e após as refeições, ou fique sentado
  • Realize as refeições em locais arejados, evitando locais que tenham odores fortes
  • Não fique perto durante a preparação dos alimentos
  • Para algumas pessoas, gotas de limão ou fatias de gengibre na água podem auxiliar. Procure um profissional para saber se é indicado para o seu tratamento

Baixo apetite

Não sentir vontade de comer é compreensível, mas é importante que entenda que a boa alimentação é essencial para seu tratamento.

  • Faça uma alimentação fracionada, comendo pequenos volumes, várias vezes ao dia. Faça de 6 a 8 refeições
  • Siga seu relógio biológico. Se tiver melhor apetite pela manhã, capriche mais no café da manhã, mas não deixe de comer nos outros horários
  • Modifique a textura do alimento para seu melhor gosto
  • Evite líquidos com refeições
  • Evite ficar perto da preparação dos alimentos
  • Varie cores dos alimentos servidos no seu prato
  • Arranje-os atrativamente.
  • Tente mudar a hora, o lugar e o ambiente onde comer. Coloque uma mesa colorida, ouça música suave enquanto come. Coma com outras pessoas

Atenção

Não fique sem se alimentar. Caso necessário, entre em contato com o médico ou a nutricionista para te orientar quanto ao uso de um complemento alimentar.

Fonte:

Consenso nacional de nutrição oncológica. / Instituto Nacional de Câncer. – Rio de Janeiro: INCA, 2009.

Consenso nacional de nutrição oncológica. / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva; Nivaldo Barroso de Pinho (organizador) – 2. ed. rev. ampl. atual. – Rio de Janeiro: INCA, 2016.; v. 2.